Banco e Cooperativa de crédito comemoram 60 anos de parceria como formadores de emprego e renda no Oeste

Publicado em: 05 julho - 2021

Leia todas


Os diretores do BRDE se reuniram na quarta-feira passada (30/06) com o presidente da Sicredi Vale Piquiri ABCD PR/SP, Jaime Basso, para receber, em forma de homenagem aos 60 anos de história e agradecimento, um troféu em formato de escada. “É uma escada da origem da cooperativa. Ela começou a funcionar em 1988 embaixo de uma escada. Este troféu é uma réplica de onde começamos e temos muito orgulho de termos chegado onde chegamos hoje”, afirmou Jaime Basso.

O BRDE e o Sicredi Vale Piquiri Abcd PR/SP começaram sua história no início dos anos 2000, contribuindo com a geração de muitas riquezas para o povo paranaense.

O trabalho das duas instituições começou com um projeto avícola sendo implantado pela C. Vale, em conjunto com a Sicredi. No entanto, havia necessidade de financiamento para produtores rurais, recurso que a cooperativa não podia repassar. Assim nasceu a parceria com o BRDE oferecendo recursos que gerou confiança e credibilidade também à Sicredi.

“Estamos juntos há muito tempo, gerando frutos por onde passamos. Este é nosso objetivo, ajudar instituições e a população a crescer e gerar uma economia cada vez mais forte e igualitária”, diz o vice-presidente e diretor de operações do BRDE, Wilson Bley.

Com a parceria, a cooperativa conquistou mais associados, fazendo com que a Sicredi crescesse e evoluísse a região. Hoje, nos 43 municípios paranaenses e 8 no ABCD paulista e São Paulo, a cooperativa possui 180 mil associados. “Quando uma cooperativa se desenvolve, o associado também cresce e, claro, a sociedade”, afirma o presidente do Sicredi Vale Piquiri ABCD PR/SP, Jaime Basso.

Junto ao BRDE, a Sicredi realizou 2.236 contratações, totalizando R$ 68 milhões. O ticket médio é de R$ 30 mil, sendo a maioria financiamentos pelo Pronaf (Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar).

Desde sua fundação, em 1988, a Sicredi Vale Piquiri ABCD PR/SP financiou em torno de mil aviários, levando recursos à região. “Os frangos produzidos nos aviários consomem milho e soja, o que resultaria numa riqueza de R$ 1,2 bilhão. Vendendo a carne desse frango, ficam na região R$ 3 bilhões. É isso que agrega renda e promove o desenvolvimento”, afirma Basso.

A parceria entre as instituições também gerou possibilidade de crescimento e diversificação de atividades de muitos produtores rurais. Assim, conseguiram melhorar sua renda e qualidade de vida, levando filhos à faculdade, coisas que se tivessem estagnado na produção primária teria sido mais difícil.

“Todo o investimento que foi feito pelo BRDE tem um papel importante não só no financiamento dos aviários, mas também no financiamento da instalação da indústria avícola e da geração de empregos e renda. Se formos analisar o Índice de Desenvolvimento Humano daquela região antes desses investimentos e agora, muda completamente. A região está com mais qualidade de vida, mais renda, mais receita, mais empregos. Tudo isso, se não fossem essas parcerias, não seria possível”, compara o presidente da cooperativa.

Dos diretores do BRDE, estiveram presentes na reunião o vice-presidente e diretor de operações Wilson Bley, e o diretor administrativo Borges da Silveira. Também presentes o superintendente Paulo Starke e a gerente Carmem Rodrigues Truite.


Fonte: Agência de Notícias do Paraná


Notícias relacionadas



Publicidade