Cooperativa de reciclagem de Barra do Piraí recebe Certidão de Inexigibilidade de Licenciamento Ambiental (CMI)

Publicado em: 07 junho - 2021

Leia todas


A Secretaria de Ambiente da Prefeitura de Barra do Piraí concedeu a Cooperativa de Trabalho de Catadores de Materiais Recicláveis Paraíso, a Certidão de Inexigibilidade de Licenciamento Ambiental (CMI).

A cooperativa, por meio desta certidão e de um acordo de cooperação técnica com a Prefeitura de Barra do Piraí, já está trabalhando para realizar esse importante trabalho em prol do meio ambiente e do bem estar social.

O coordenador de Educação Ambiental, Alberto Lootens, ressaltou  que, devido ao Programa de Desenvolvimento Regional, Territorial Sustentável e Economia Solidária, que apoia empreendimento econômicos solidários, todos os funcionários da cooperativa são de baixa renda ou não possuem nenhuma. Isso serve como uma forma de inclusão social daqueles menos favorecidos.

Alberto explicou que a participação da prefeitura nesta campanha ocorre cedendo o caminhão de coleta, combustível e refeição para os funcionários, além do maquinário necessário para o tratamento do material reciclável recolhido.

O coordenador de Educação Ambiental conta que, após o recolhimento do material reciclado, todo o volume é levado para um galpão onde é separado e ocorre o enfardamento, quando é prensado e amarrado, e por fim, comercializado.

O prefeito Mario Esteves aponta que este é o primeiro momento do projeto, e que mais parcerias serão construídas com o mesmo intuito. “Precisamos ampliar os serviços de coleta seletiva e reciclagem. Além da cooperativa estar inserida neste contexto, necessitamos que a ampliação vá ao encontro dos anseios da população e das esferas governamentais. Como disse: todos fazemos parte desta engrenagem, onde, quem ganha, é a população e o ambiente onde vivemos”, acredita o chefe do Executivo. Atualmente a Cooperativa Paraíso está atuando na rua principal do Centro, Caieira, Vargem Grande, Santo Cristo, Carvão, Química, Vale do Ipiranga, Vila Helena, Muqueca, Carlos de Queiroz, São João, Maracanã, e nos condomínios do Parque Aldeia das Águas. Além disso, a coleta ainda atende ao comércio da cidade, que é onde o aproveitamento é mais rentável.


Fonte: Diário do Vale


Notícias Relacionadas:



Publicidade