Cooperativa reforça agricultura familiar com a distribuição de merenda escolar

Publicado em: 31 janeiro - 2021

Leia todas


Atualmente com mais de 600 associados, a Cooperativa de Leite da Agricultura Familiar de Pitanga (Coorlaf-Pitanga) – no interior do Paraná – desenvolve um projeto que consiste na compra e distribuição de alimentos da agricultura familiar para a merenda escolar, entre escolas municipais e colégios estaduais.  

Segundo o dirigente responsável pela Coorlaf-Pitanga, Dirceu Alves de Lima, a maior missão da cooperativa, atualmente, é “desenvolver o agricultor familiar, comprar o que ele oferece de melhor e ajudar na economia do município. Com uma central em Guaruapuava (PR), a Coorlaf-Pitanga, a princípio foi criada para atender, sobretudo, a demanda dos produtores de leite locais. A cooperativa integra o Programa Nacional de Alimentação Escolar (Pnae) e o Programa de Aquisição de Alimentos (PAA).

“Só no mês de dezembro (de 2020), repassamos aos pequenos produtores quase R$ 70 mil em pagamentos. Isso mostra o quanto esse agricultor familiar é importante à economia de Pitanga, onde ele gasta o que recebe”, comenta Lima, ao acrescentar a atuação da cooperativa foi além de simplesmente adquirir o leite e transformá-los em derivados e produtos acabados. “Nosso estatuto previa algo mais: que toda a produção deveria ser comercializada”, revela.  Disposta a vencer novos desafios, a Coorlaf-Pitanga pretende abrir, em março próximo, uma loja exclusiva com produtos diferenciados da cooperativa, mais uma iniciativa para apoiar os produtores rurais. “Nos últimos seis meses, ao estudar com mais atenção o mercado local, observamos as maiores necessidades dos produtores. Daí surgiu a ideia de montar a loja”, afirma.

‘Plena ascensão’

Sobre as perspectivas para 2021, Dirceu admite que o setor de bebidas lácteas está “em plena ascensão”, tendência reforçada pelo fato de a microrregião de Pitanga estar localizada na terceira maior bacia leiteira do Paraná. Atualmente, a Coorlaf possui uma plataforma com capacidade de receber mais de 70 mil litros de leite, sem contar o maquinário avaliado em R$ 500 mil.

Como presidente do Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Pitanga, Lima comemora algumas vitórias para a categoria, como a aposentadoria aos 55 anos, para a mulher, e aos 60, para o homem, corrigindo uma lacuna deixada pela Constituição de 1988, em vigor. “Naquela época, queríamos que nosso trabalhador tivesse as mesmas condições que os trabalhadores de carteira assinada da cidade. Depois de muita luta, conseguimos o reconhecimento da mulher como chefe de família”, lembra.


Por Marcello Sigwalt – Redação MundoCoop


Notícias relacionadas



Publicidade