No Dia Internacional do Cooperativismo, cooperativa enaltece a importância de cooperar com o próximo

Publicado em: 06 julho - 2021

Leia todas


O Dia Internacional das Cooperativas foi comemorado neste sábado (3). O tema deste ano é ‘Reconstruir melhor juntos’. A iniciativa visa mostrar como as cooperativas em todo o mundo buscam enfrentar a crise pandêmica da Covid-19. O segmento tem atuado com resiliência e solidariedade ao oferecer as comunidades possibilidade de recuperação focada nas pessoas e ambientalmente justa.

Em todo o mundo são mais de 1 bilhão de cooperados. As cooperativas atuam nos setores da agricultura, finanças, educação, saúde, entre outros campos que permite levar crescimento, recomeço e a esperança de uma vida para cada cooperado e a comunidade em que está inserida. Para celebrar o Dia Internacional das Cooperativas, o JORNAL DO OESTE traz uma parcela do que as cooperativas estão fazendo para enfrentar a crise da pandemia e como isso tem contribuído com a valorização do ser humano.

“A pandemia acabou acentuando as desigualdades sociais e agravando a situação de várias famílias e em momentos como este, o papel e a cooperação das diversas entidades e instituições, sejam privadas ou públicas, faz-se ainda mais essencial”, cita a agente de cooperativismo da Primato Cooperativa Agroindustrial, Carolina Carvalho Garcia de Souza. “O cooperativismo, especificamente, tem papel fundamental junto à comunidade. Neste sentido, as ações e projetos sociais que a Primato realizou em 2020 foram todas voltadas ao combate da Covid-19 e às medidas de minimização dos impactos da pandemia”.

Entre as ações desenvolvidas estão, principalmente, as arrecadações. Essas iniciativas resultaram em uma doação de mais de dez toneladas de alimentos, 300 quilos de álcool em gel e mais R$ 50 mil convertidos em produtos alimentícios e de limpeza. As ações beneficiaram 14 instituições e em torno de cinco mil famílias. Esse trabalho continua em 2021.

Carolina recorda que o cooperativismo é norteado por sete princípios – chamamos de princípios cooperativistas – e um deles é o interesse pela comunidade. Ela pontua que dentro da Cooperativa existe a consciência em relação ao papel junto à comunidade de atuação e a importância dessa comunidade local para o desenvolvimento das atividades e negócios.

“Enquanto Cooperativa, nos sentimos responsáveis por impactar de forma positiva no desenvolvimento do município ou região e transformar para melhor a realidade das pessoas. Em tempos de pandemia, essa atuação das cooperativas junto à comunidade se tornou ainda mais necessária, buscando prestar suporte desde seus colaboradores, famílias locais e inclusive instituições de outras cidades”, declara.

SOLIDARIEDADE E RESILIÊNCIA – O cooperativismo tem um dia especialmente seu, que é comemorado no mundo todo no 1º sábado de julho. Carolina explica que no Brasil, as cooperativas comemoram esta data de uma forma bem especial: com as iniciativas voluntárias do Dia C (Dia de Cooperar). “Assim, o Dia C acabou se tornando o maior programa de responsabilidade social do cooperativismo brasileiro. Nesta época do ano, as Cooperativas intensificam e incentivam o voluntariado e a solidariedade buscando transformar realidades e comunidades. Além das ações realizadas durante todo o ano, principalmente neste período de maio a julho, as cooperativas realizam diversas ações solidárias junto às comunidades”, cita.

Neste ano, a Primato continua desenvolvendo ações de solidariedade e colocando em prática os conceitos de resiliência. Acontecem em todas as unidades campanhas para arrecadação de alimentos, roupas, agasalhos, rações pet, produtos de limpeza, álcool em gel, dentre outros que irão beneficiar cerca de 30 instituições e diversas famílias, no município de Toledo e região. “Desta forma, reforçamos nossos princípios e valores e nos fortalecemos enquanto cooperativa para que, com a resiliência que o momento exige, sejamos cada vez mais atuantes em nosso propósito”, afirma Carolina.

OS DESAFIOS DO COOPERATIVISMO – Conforme análise da agente de cooperativismo da Primato, o setor cooperativista foi impactado pela pandemia e seus reflexos econômicos e sociais assim como os demais setores da sociedade. Um dos principais desafios, neste sentido, foi o de se reinventar para continuar a ser presente na vida das pessoas, mesmo que não fosse de forma física.

“Reinventar e transformar maneiras de atender aos cooperados e clientes, seja com a venda de produtos ou prestação de serviços, e fazer isso de forma muito rápida pois de repente o mundo mudou e a forma com que fazíamos as coisas não necessariamente cabia mais para o momento. Como fidelizar clientes e cooperados com um atendimento virtual? Como motivar e engajar colaboradores sem uma conversa olho no olho? Foram e são vários desafios que o Cooperativismo, juntamente aos outros setores, tiveram que se adaptar, e continuam aprendendo até hoje”, argumenta.

FORTALECIMENTO DO COOPERATIVISMO – Na avaliação de Carolina, o cooperativismo é um modelo de negócios diferente, uma alternativa viável, sustentável e eficaz para o desenvolvimento dos municípios e regiões. Ela acrescenta que é um modelo que se preocupa com a comunidade, que busca alternativas mais justas e que se mostrou ainda mais essencial em tempos de pandemia.

“Neste sentido, a pandemia pode ter trazido mais visibilidade ao cooperativismo, pois as pessoas passaram a olhar com outros olhos para as cooperativas por tudo o que fizeram pelas comunidades neste período. O Cooperativismo foi um setor que conseguiu se manter economicamente produzindo e gerando empregos e também prestando esse suporte social que a comunidade precisava”, afirma.

O cooperativismo tem princípios, valores e características que se fortaleceram neste período de pandemia. “Exemplo disto foi a união de cooperativas de diversos ramos diferentes em prol de algumas causas, como aconteceu este ano com a doação de respiradores aos municípios paranaenses”, conta ao citar que o cooperativismo pode se fortalecer ainda mais, com parcerias e a união de pessoas e objetivos, buscando promover não só o cooperativismo, mas desenvolver e fortalecer a sociedade como um todo.

“Enquanto agente de cooperativismo e estando a frente da organização dos projetos sociais e campanhas do Dia C da Primato, posso dizer que tenho orgulho e me sinto muito grata por tudo que temos realizado, por tantas entidades e pessoas que chegam até nós solicitando algum tipo de apoio e com o engajamento de nossas equipes, conseguimos atender a estas demandas. Com certeza, o Dia C 2021 será mais um que ficará marcado para a história da Cooperativa, e também para as comunidades, instituições e famílias que ajudamos, mas principalmente ficará marcado para nós, ou seja, para cada colaborador que de alguma forma contribuiu e se dispôs a fazer sua parte. O lema do Dia C já se enraizou entre nós: ‘Atitudes simples movem o mundo!’”, finaliza.


Fonte: Jornal do Oeste / Da Redação TOLEDO


Notícias Relacionadas



Publicidade