Para garantir ano letivo, Colégio Imperatriz investe firme em tecnologia

Publicado em: 12 novembro - 2020

Leia todas


Um aparato que facilite a missão de ensinar de maneira remota, devida às incertezas quanto à descoberta de uma vacina contra a covid-19, às vésperas do final do ano letivo. Frente a esse desafio, o Colégio Imperatriz, de Guarapuava (PR) decidiu investir R$ 500 mil em tecnologia de ponta, soma que permitiu dotar cada sala da escola de um sistema de informática próprio, composto por computadores, microfones de alta precisão, câmeras e tripés.  

 A opção tecnológica é reforçada pela indefinição sobre a volta das aulas presenciais. Atualmente, apenas as atividades extracurriculares têm autorização da Secretaria de Educação e do Esporte do Paraná.

“Mesmo sabendo que a vida vai voltar ao normal, em algum momento, fizemos essa adequação, pois há alunos que acompanham presencialmente as aulas extracurriculares, outros o fazem online”, afirma a diretora educacional da instituição, Josiane Richter.

Mas essa não é a primeira viagem tecnológica da escola. Há três anos, a equipe de professores começou a estudar e pesquisar a respeito das plataformas Google Drive e Google Classroom, vistas na atualidade como os melhores meios digitais para ministração de aulas e desenvolvimento de atividades virtuais. “Além dos equipamentos, fizemos um upgrade nos pacotes oferecidos pelo Google, de modo a alcançar a melhor qualidade possível durante as aulas”, completa.

Em paralelo, o Colégio Imperatriz também deu atenção à capacitação dos professores nas abordagens e metodologias mais adequadas ao ensino de novos conteúdos, exercícios e avaliações do meio digital. “Saber mexer com equipamento não é difícil, mas conduzir a aula num sistema híbrido ou online. Depois de testarmos várias alternativas, montamos um plano de aula específico para o Imperatriz”, explica Josiane.

Com essas mudanças, o colégio pôde adequar o nível de ensino à faixa etária dos estudantes. A Educação Infantil, além da redução da carga horária das aulas, contempla acompanhamentos individuais a cada semana. A diretora entende que o novo acervo tecnológico permite a abertura de novas oportunidades, como o letramento digital, com início previsto para 2021, conforme as diretrizes fixadas pela Base Nacional Comum Curricular.  


Por Redação MundoCoop


Notícias Relacionadas



Publicidade