Projeto do Cooperjovem recebe Prêmio Gestor Público do Paraná

Publicado em: 15 dezembro - 2020

Leia todas


O Prêmio Gestor Público Paraná realizou, na última quinta-feira (10/12), a cerimônia de encerramento da edição 2020, de forma on-line. De 162 projetos homologados, 43 foram premiados, entre eles, o projeto “O que os Olhos Não Veem”, da Escola Municipal Bom Pastor, que integra o Programa Cooperjovem em Mandaguari-PR. O destaque é concedido em reconhecimento às boas práticas dos gestores públicos municipais do Paraná.

A iniciativa em questão teve como objetivo conscientizar alunos, pais e comunidade escolar sobre as pessoas consideradas invisíveis em nossa sociedade. Foi aplicado um questionário aos pais da comunidade escolar e por ele notou-se que as famílias reconhecem a existência de pessoas que passam por problemas e dificuldades, porém não conhecem entidades que trabalham em favor do bem-estar dessas pessoas.

Segundo a diretora da Escola Municipal Bom Pastor, Carmen Lucia Rafael, o projeto “O que os Olhos Não Veem” teve início com os 4.° anos da instituição e, posteriormente, envolveu as outras turmas da escola. “O projeto marcou pessoas, mudou atitudes e a maneira de ver um ao outro. Às professoras, meus mais fervorosos agradecimentos pelo excelente trabalho que desenvolveram”, disse.

A iniciativa foi idealizada pelas professoras Daniele Mara Arbano Wiederwild Silva, do 4.º ano B, e Sandra Cristina Fadel, do 4.º ano C, e realizada no ano de 2019 entre os meses de maio e agosto. Trabalhando os princípios cooperativistas, os alunos foram orientados na busca por possíveis soluções para os problemas agora visíveis para eles. “Durante o projeto, propomos às crianças que assistissem ao filme ‘Corrente do bem’. A partir disso, os alunos perceberam que algo poderia ser feito caso eles tivessem ações cooperativas concretas de solidariedade”, destacaram.

O alcance do projeto surpreendeu as educadoras. “Não só os alunos foram impactados, mas a ação abrangeu a comunidade como um todo. Houve trocas entre alunos e profissionais de diversas áreas, que se prontificaram em doar seus conhecimentos no intuito de ampliar a visão dos alunos sobre temáticas que gostariam de atuar. Ao final de cada etapa, para nossa surpresa, esses profissionais se engajaram no projeto, nele permanecendo até a etapa final, quando entregamos doações arrecadadas”, contaram.

As professoras dividiram um pouco da experiência da premiação. “Para nós, enquanto professoras do quadro do magistério há mais de 15 anos, foi um momento mágico e gratificante. Percebemos que nós ainda possuímos potencial e poder influenciador e de transformação social”, avaliaram.

As educadoras deixaram uma mensagem em agradecimento aos que contribuíram com a iniciativa. “Gostaríamos de agradecer a todos os envolvidos em nosso projeto, pais, alunos, palestrantes e toda a comunidade. Agradecemos à Cocari por oferecer a formação do Cooperjovem, que foi de suma importância para o desenvolvimento do projeto. Em especial, à professora que ministrou o curso, Carmen Machado, que foi a primeira a acreditar no potencial do nosso projeto. Nossa maior incentivadora”, enfatizaram.

O Programa Cooperjovem foi desenvolvido para divulgar conceitos cooperativistas e ações para a formação continuada de educadores na área de ação da Cocari, sendo realizado com apoio do Sescoop/PR. Por meio dele, os alunos da rede pública municipal desenvolvem iniciativas cooperativas que impactam positivamente a comunidade.


Fonte: Imprensa Cocari


Notícias relacionadas



Publicidade